Outdoor Painel Rodoviário Campanhas Contato
  Área de Atuação Locais Disponíveis Cartazes Exibidos Fale Conosco
  Tabela de Preços   Pacotes Comerciais Localização
  Relação de locais   Utilidade Pública (19 ) 3896-1524
           

     

Circuito das Águas Paulista
Circuito das Flores
Grande São Paulo
Litoral Norte 
 
     

     



Ubatuba





Região:Litoral Norte
Cidade
:Ubatuba

Dados:
População: 86.392 habitantes
Área: 723.883 KM²
Gentílico: Ubatubano

Indicadores:
IDH(2010): 0,751
PIB per Capita(2012): R$ 13.343,70


  HISTÓRICO:
Foram os índios Tamois os primeiros habitantes de Ubauba, que até início do século XVII, possuíam numerosos aldeias. Transcorreu ali, a Confederação dos Tamoois, levante indígena contra os colonizadores portugueses, causado por incentivo dos franceses (Nicolau Durand de Villegaignon) invasores do Rio de Janeiro.
Hans Staden, mercenário alemão, do forte português de São Jorge do Bertioga, ficou prisioneiro na aldeia de Iperoig. Depois dele, Padres Manoel da Nóbrega e José de Ancheita foram os primeiros brancos a visitar o aldeamento de Ubatuba, com o intuito de apaziguar os Tamoios. Nesse tempo, Anchieta escreveu o célebre 'Poema à Virgem', nas areias de Ubatuba. Com hábil indicação desses padres, foi esabelecido em 1563, o tratado 'A Paz de Iperoig'.
Ubatuba, cujo topônimo decorre de ?Ybá-tiba?- abundância de cana brava utilizada para confecção de flechas, foi fundada pelo Capitão e ouvidor Jordão Homem da Costa, natural da ilha portugueses Terceira, que com sua família e agregados, aqui se estabeleceram por volta de 1600.
Levantou uma capela sob invocação de 'Exaltação de Santa Cruz', iniciando, assim, a povoação local. Foram concedidas as primeiras sesmarias cabendo a Inocêncio de Inhatete e Miguel Gonçalves, em 1610, as terras que compõem o atual Município, entre os rios Marajaimirendiba e Ubatuba. Pouco tempo depois, em 1637, foi elevada à categoria de vila (Município), predominando em sua economia as culturas da mandioca e cana-de-açúcar, e ainda a pesca.
Durante a primeira metade do século XIX, o café foi o principal responsável pelo grande surto de desenvolvimento ocorrido e pelo seu porto era escoada a produção do Vale do Paraíba.